Av. Alan Turing, nº 805 - Barão Geraldo – Campinas

ITE/FACAMP registra segunda queda consecutiva em julho

Tabela 1: ITE/FACAMP mensal (variação em %)

Comparações Junho 2021 Julho 2021
Mês anterior (com ajuste sazonal) -0,4 -1,9
Média Móvel Trimestral[1] 1,0 0,0
Mesmo mês ano anterior 19,2 9,3
Acumulado 12 meses 9,2 10,2

  Fonte: Elaboração NEC/FACAMP a partir dos dados da CCEE

 

O Índice de Tendência Econômica da FACAMP (ITE/FACAMP)[2] caiu 1,9% em julho de 2021 em relação ao mês anterior, já descontados os efeitos sazonais. Com essa segunda queda marginal consecutiva, a média móvel trimestral interrompeu a trajetória de crescimento que vinha desde abril e registrou estabilidade em julho. Em que pese a piora vista nos dois últimos meses, o ITE segue anotando excelente desempenho na comparação com julho de 2020 (+9,3%) e também no acumulado dos últimos 12 meses (+10,2%). Tal desempenho deve ser interpretado à luz da fraca base de comparação do início de 2020, quando a economia brasileira foi impactada pela imposição de medidas de isolamento social.

A segunda queda marginal consecutiva do ITE reforça a interpretação de que a economia brasileira enfrenta dificuldades para voltar a crescer num cenário de inflação maior, mercado de trabalho debilitado, crise energética e crise política. De fato, comparando-se a taxa média de crescimento mensal do ITE em 2021 (-0,2%) com a do período maio/dezembro de 2020 (+3,5%), ganha força a interpretação de que a economia brasileira patina e que os bons resultados esperados para o acumulado do ano se devem muito mais a uma herança da arrancada vista em meados de 2020 do que das condições do momento.

“O significativo volume de transferência de renda permitido pelo auxílio emergencial de 2020 e a rápida adaptação de certas atividades ao quadro de pandemia permitiram que alguns setores apresentassem bom desempenho em meados de 2020 e início de 2021. Mas, uma vez diluído aquele estímulo mais forte, é natural que haja acomodação do consumo, sobretudo num contexto de inflação em alta, desemprego elevado e menor volume de transferências de renda”, ressalta a Professora Juliana Filetti do NEC/FACAMP.

Neste contexto, o avanço da vacinação e a demanda externa não parecem ser suficientes para garantir um bom desempenho no segundo semestre e em 2022. Por um lado, a vacinação e a “volta à normalidade” prometem destravar alguns setores (sobretudo serviços) que ainda não retomaram integralmente suas atividades. Por outro, a demanda interna enfrenta desafios importantes, como atesta, aliás, o fraco desempenho do investimento e do consumo das famílias exposto na última divulgação do PIB.

“Não podemos esquecer que para a economia voltar a crescer não basta apenas relaxar totalmente as medidas de isolamento social. A oferta de serviços pode se normalizar, mas se o consumidor não tiver renda e segurança para voltar a gastar, o consumo das famílias, que totaliza perto de 60% do PIB, não vai aquecer. Ademais, a alta dos juros, o baixo volume de investimentos públicos e a incerteza trazida pela crise energética e pela crise política não nos deixam muito confiantes em relação ao desempenho do investimento privado. O agronegócio e as exportações podem seguir crescendo, mas os baixos encadeamentos internos do primeiro e o reduzido coeficiente de exportação do país limitam a capacidade de ambos gerarem bons efeitos multiplicadores internos”, alerta o Professor Rodrigo Sabatini do NEC/FACAMP.

 

 

[1] A média móvel trimestral avalia o resultado da variação do último trimestre móvel, ou seja, compara a média dos últimos três meses, incluindo o mês atual, com a média dos três meses anteriores ao mês corrente. Por considerar a média do último trimestre móvel, seu resultado acaba sendo mais suave e capaz de captar uma tendência menos volátil da série a analisada.

[2] O ITE/FACAMP é calculado a partir do consumo de energia tomando informações públicas disponibilizadas pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE). O ITE possui um coeficiente de correlação de Pearson (r) de 0,85 ante o IBC-br do Banco Central em julho de 2021. Em relação ao PIB, o coeficiente de correlação é de 0,79 no segundo trimestre de 2021. Para mais detalhes sobre a metodologia do ITE/FACAMP, veja https://www.facamp.com.br/pesquisa/economia/nec-facamp/

Related Posts

Leave a comment

You must be logged in to post a comment.