A profissão do Engenheiro de Produção

A revolução tecnológica e as mudanças na organização das empresas redefiniram profundamente a profissão do engenheiro de produção.

A concorrência global tornou imprescindível o rigoroso controle de custos e da qualidade dos produtos; a evolução dos sistemas de comunicação contribuiu para a agilização da análise das informações e para a velocidade da inovação, tanto dos processos como dos produtos.
Antigamente, o profissional de Engenharia de Produção era encontrado apenas em fábricas e respondia exclusivamente pela eficiência dos processos produtivos. Hoje, ele trabalha tanto no setor produtivo quanto no administrativo, supervisiona a gestão da produção, participa da gestão econômico-financeira e, especialmente, da tomada de decisões estratégicas. O moderno engenheiro de produção precisa ter uma visão integrada das áreas tecnológica, administrativa e financeira.
Para acompanhar esse novo cenário, foi preciso sofisticar a formação do engenheiro de produção. Os currículos dos cursos de excelência enfatizam a Administração (principalmente Gestão Financeira e Marketing), a Economia (especialmente a dinâmica dos mercados e ao surgimento de novos produtos e processos) e o domínio dos Métodos Quantitativos (Matemática, Estatística e Modelos).
O excelente desempenho desses profissionais em instituições financeiras, bancos comerciais e bancos de investimento é mais um indicador do novo perfil do engenheiro de produção. Em um mundo marcado pelo risco e pela incerteza, os mercados financeiro e de capitais abriram-se aos engenheiros habilitados.

Conheça o curso de Engenharia de Produção da FACAMP

Áreas de Atuação do Engenheiro de Produção

PRODUÇÃO E TECNOLOGIA

A área de Produção e Tecnologia engloba as atividades ligadas à gerência de produção, à gestão da qualidade e à engenharia de produto. Responde pelo aprimoramento dos processos produtivos ao dimensionar a capacidade de produção, ao buscar ganhos contínuos de produtividade, ao organizar e analisar os dados
gerenciais com base em métodos numéricos e estatísticos. O engenheiro de produção domina as tecnologias disponíveis, é o encarregado de introduzir inovações e de promover o desenvolvimento de novos produtos e serviços. Cabe também a ele articular as ferramentas numéricas e estatísticas e as técnicas mais avançadas
de Engenharia de Produção.

PLANEJAMENTO DA PRODUÇÃO

O profissional da área de Planejamento da Produção desenvolve processos e ferramentas para melhorar o planejamento e o controle da produção, estabelecer metas e executar ações para otimizar os ativos operacionais da empresa, implementar novas tecnologias na área de planejamento, gerenciar equipes com qualificação profissional destacada, ter capacidade elevada de planejamento, gerenciar custos e estabelecer metas que garantam a competitividade da empresa ao longo do tempo.
Ernesto Fantini, Ex-diretor da Eaton

GESTÃO DA TECNOLOGIA

O gestor de tecnologia deve estar sempre atualizado, deve saber projetar sistemas complexos, gerenciar equipes com alta qualificação profissional, estabelecer metas que garantam a competitividade da empresa e gerenciar prazos e custos. Essas atribuições são desenvolvidas em um ambiente no qual o domínio das técnicas deve aproximar a cadeia de suprimentos de um processo just in time com alta disponibilidade, buscando a integração com outros setores, como Contabilidade e Logística.
Ruy Amparo, Maintenance Director da TAM Aviação

PLANEJAMENTO DO PRODUTO

A área de Planejamento do Produto exige pesquisas permanentes de inovação de produtos, baseadas em análise de mercado e de tendências tecnológicas. Deve-se observar a constante mudança, não somente pela evolução dos maquinários, mas, sobretudo, dos cenários competitivos. A tomada de decisão está fundamentada nos aspectos funcionais, econômicos e produtivos.
Fernando de Toledo, Coordenador de Projetos de Melhoria Contínua na The Goodyear Tire & Rubber Company

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO

Em todos os setores (industrial, financeiro, comercial etc.), o engenheiro de produção tem participação ativa na tomada de decisões estratégicas da empresa. Ele atua decisivamente na elaboração e avaliação de propostas de investimentos porque é capaz de aliar várias formas de conhecimento. Está habilitado para analisar processos de custos e de qualidade, de produtos e de tecnologia. Ao mesmo tempo, os conhecimentos de Administração e de Economia lhe permitem integrar a avaliação técnica e a economia financeira. O engenheiro de produção maneja perfeitamente a matemática, a estatística e as técnicas de construção dos modelos quantitativos de simulação, que têm larga aplicação nas empresas.

LOGÍSTICA

O engenheiro de produção que atua na área de Logística planeja, implementa e controla o fluxo e o armazenamento de matérias-primas, materiais semiacabados e produtos acabados com eficiência e economia. Projeta e gerencia redes logísticas, modela e simula sistemas logísticos complexos para apoiar tomadas de decisão na definição de uma estratégia de suprimentos, planeja ganhos de escala a partir da reorganização da cadeia produtiva. É ele o responsável por garantir a disponibilidade do produto dentro dos níveis de exigência do mercado.
Arnaldo Rezende, Superintendente da Federação das Entidades Assistenciais de Campinas - FEAC

PROSPECÇÃO DE MERCADOS

Trabalhar na área de Prospecção de Mercados significa desenvolver a capacidade de pesquisar e conhecer bem o mercado, as indústrias e as empresas instaladas no ramo em que se atua. É preciso também conhecer as necessidades de potenciais clientes, bem como os competidores, avaliar riscos e oportunidades, conhecer a cadeia de suprimentos e processos logísticos disponíveis, poder de compra, aspectos políticos, econômicos e demográficos do mercado, novas tecnologias e legislações, determinar o significado de valor para os clientes e as barreiras de entrada e saída etc.
Ricardo Dantas, Sales and Marketing Director - Eaton Vehicle Group South America

GESTÃO DE PROCESSOS

As atribuições da área de Gestão de Processos são: assegurar a correta execução dos procedimentos em todos os processos produtivos e administrativos, ter agilidade na tomada de decisões, gerenciar conflitos internos e externos, assegurar a correta e precisa identificação de problemas, assim como a definição de soluções eficazes. A boa Gestão de Processos permite assegurar a qualidade do produto em todas as fases do seu ciclo de vida, desde sua concepção até o pós-venda.
Marcelo Domingues, Improvement and Restructuring Executive

PROCESSOS PRODUTIVOS

A moderna Gestão dos Processos Produtivos é uma estratégia de negócios para aumentar a satisfação dos clientes através da melhor utilização dos recursos. Procura fornecer consistentemente valor aos clientes através da melhoria dos fluxos de valor primário e de suporte. O foco da implementação deve estar nas reais necessidades dos negócios e não na simples aplicação das ferramentas.
José Ferro, Presidente do Lean Institute Brasil

 

Engenheiro de Produção