fbpx

Engenharia Mecânica na Era da Informação

A Engenharia Mecânica passou por uma revolução nas últimas décadas. Os processos de produção industrial se tornaram cada vez mais automatizados e flexíveis com softwares para design e projeto.

A Engenharia Mecânica, hoje, não está mais restrita à era das máquinas, não está restrita às oficinas, aos equipamentos de grande porte.

Antigamente, os engenheiros precisavam produzir desenhos técnicos e planilhas de instruções para os operários produzirem as peças. Os trabalhadores operavam tornos e fresadoras de grande complexidade.

Vejamos um exemplo: a Boeing lançou em 1962, depois de quase 7 anos de desenvolvimento, o 727, para viagens curtas e 131 passageiros. Ao longo deste processo, passava-se da maquete em miniatura do avião ao protótipo: um avião com 100 mil peças.

Em 94, a Boeing lançou o 777, para viagens longas com 368 passageiros e 3 milhões de peças. O projeto demorou 2 anos e meio. Foi o primeiro jato desenhado integralmente por engenheiros em computadores, utilizando um software de design assistido. Chama- se design assistido porque, à medida que vai sendo desenhado, o computador corrige e compatibiliza o projeto dos engenheiros.

É possível visualizar no computador o avião e todos os seus componentes. Instruções computadorizadas são enviadas pela internet a qualquer lugar do planeta e podem ser produzidas de maneira customizada.

Nos últimos anos, a Boeing desenvolveu o 787 Dreamliner. A diferença é que mais de 70% dos componentes foram produzidos de forma terceirizada, por outras empresas. Isto foi possível graças a um software de gestão da cadeia global de produção capaz de gerenciar fornecedores, pagamentos, ordens de compra e venda, entregas, estoques, prazos etc. Isto é, a gestão é fundamental para a engenharia moderna.

Os programas de design assistido e de gestão da cadeia de produção permitiram a integração das operações industriais desde o design da peça, passando pela produção e terminando com a venda.

A formação do engenheiro teve que se transformar para acompanhar a revolução no processo de produção. A formação tradicional precisava de laboratórios e grandes oficinas, de equipamentos de grande porte.

Na era da informação, a situação mudou. Os engenheiros de hoje têm que ter formação técnica completa, conhecimento de computação e visão geral da empresa, para que possam conceber o projeto.

A operação destas novas máquinas e equipamentos requer um engenheiro altamente capacitado que tenha domínio dos equipamentos, dos programas e dos processos de produção.

Nos dias atuais, todo projeto precisa contemplar os conhecimentos clássicos da engenharia mecânica e de outras áreas como as de Tecnologia da Informação, Automação, Robótica, Impressão 3D e Gestão.

Um curso de excelência em Engenharia Mecânica deve ter laboratórios tradicionais como de sistemas de energia, termodinâmica, transferência de calor, processos de fabricação e sistemas mecânicos.

Além disso, o domínio dos programas de simulação, design, engenharia e gestão da empresa é essencial. A FACAMP está preparada técnica e pedagogicamente para a formação do engenheiro dos novos tempos.

Desde o início do curso, os alunos, com o uso do AUTOCAD, começam a aprender criando sistemas simples. O desenvolvimento de modelos complexos vai ocorrendo na medida em que o aluno vai avançando no domínio dos conceitos clássicos da Engenharia Mecânica.

Na FACAMP, há também um conjunto de disciplinas articuladas que são um verdadeiro MBA de Gestão Estratégica de Negócios, 19 disciplinas com uma carga horária de mais de 1.000 horas. O aluno aprende finanças, marketing e gestão de pessoas. Adquire visão de conjunto da empresa e a capacidade de empreender e gerenciar qualquer negócio.