Av. Alan Turing, nº 805 - Barão Geraldo – Campinas

FACAMP explica: PMC setembro 2020

“Confirmou-se a recuperação do varejo brasileiro pelo quinto mês consecutivo, superando a média do período pré-recessivo em 2014”, afirmam especialistas

Adriana Marques da Cunha e Saulo Cabello Abouchedid

O comércio varejista ampliado brasileiro[1] apresentou crescimento de 1,2% em  setembro frente a agosto de 2020, no quinto aumento mensal consecutivo, de acordo com a última Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) do IBGE. O volume de vendas do varejo ampliado brasileiro superou, em setembro de 2020, a base média móvel trimestral de 2014, ponto inicial  do esgotamento do ciclo de consumo e da crise econômica brasileira. Mantiveram-se os fatores que explicam o comportamento positivo do varejo brasileiro nos últimos meses: a flexibilização do distanciamento social a partir da reabertura das atividades comerciais, a sustentação da renda das famílias por conta do auxílio emergencial, acrescidos da concessão de crédito à pessoa física com reduzido nível de juros. Embora seja evidente o bom desempenho do volume de vendas em setembro, observou-se tendência de desaceleração das vendas do varejo ampliado nos últimos meses,  indicadas pelas variações mensais marginais. O comportamento do varejo ampliado no acumulado em doze meses ainda mostra comportamento negativo (queda – 1,4%).

A maioria dos setores integrantes do varejo ampliado mostrou desempenho positivo no volume de vendas no mês de setembro comparado a agosto de 2020. Destacaram-se as vendas de livros, jornais e artigos de papelaria (8,9%); veículos, motocicletas e partes e peças (5,2%); combustíveis e lubrificantes (3,1%);  artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos e de perfumaria (2,1%) e materiais de construção (2,6%). Embora o desempenho positivo de veículos e de materiais de construção ainda traga alento para o varejo ampliado em 2020, dada sua relevância no cálculo do índice do varejo ampliado, ambos os setores  apresentaram desaceleração de crescimento comparando-se com o registro do mês de agosto. No caso da venda de autoveículos (automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus), os dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (ANFAVEA) indicam crescimento de 13,3% das unidades licenciadas em relação a agosto de 2020. No entanto, a previsão da entidade para 2020 é de queda de 31% de unidades licenciadas em relação a 2019, pior resultado desde 2005[2].

Com destaque negativo, as vendas de tecidos, vestuários e calçados (-2,4%), reforçando a delicada situação deste setor. Embora tímido, o encolhimento das vendas de hipermercados, supermercados, alimentos, bebidas e fumo           (-0,4%) pelo segundo mês consecutivo torna-se preocupante devido à sua maior relevância individual no valor final do índice (30,5%).

De acordo com os analistas da Facamp, Adriana Marques e Saulo Abouchedid, “o cenário de recuperação do varejo brasileiro nos últimos meses contém evidentes traços de desaceleração, agravados pela persistência do desemprego e da informalidade no mercado de trabalho, pela redução do auxílio emergencial e, principalmente, pela incerteza que envolve o fim de medidas anticíclicas, mesmo em contexto de crescimento da concessão de crédito livre para pessoa física, podendo dificultar sobremaneira a sustentação de sua festejada retomada recente”.

Gráficos e tabelas

 

Expediente

FACAMP explica: PMC é uma publicação mensal do Centro de Pesquisas Econômicas da FACAMP que repercute os resultados da Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE.

FACAMP é uma faculdade privada fundada em 2000 por João Manuel Cardoso de Mello, Liana Aureliano, Luiz Gonzaga de Melo Belluzzo e Eduardo Rocha Azevedo. Com 100% de Mestres e Doutores, seu curso de Economia recebeu 5 estrelas do Guia do Estudante em 2018.

www.facamp.com.br

Pesquisadores

Adriana Marques da Cunha, Beatriz Bertasso, Bento Maia, Fernanda Serralha, Jackeline Bertuolo, José Augusto Ruas, Juliana Filleti, Ricardo Buratini, Rodrigo Sabbatini, Saulo Abouchedid e Thiago Dallaverde

Assistentes de Pesquisa:

Thais Trombeta e Jacques

 

Como citar esta nota

CUNHA, A.M.; ABOUCHEDID, S. “PMC: setembro de 2020”. In FACAMP Explica: PMC. Campinas: Editora FACAMP, setembro de 2020.
 

[1] O comércio varejista inclui combustíveis e lubrificantes; hiper, supermercados, produtos alimentícios e fumo; tecidos, vestuários e calçados; móveis e eletrodomésticos; artigos farmacêuticos, médios, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos; livros jornais, revistas e papelarias; equipamentos e materiaias para escritórios, informática e comunicação; e outros artigos de uso pessoal e doméstico. O comércio varejista ampliado adiciona veículos motos, partes e peças, assim como material de construção, aos demais segmentos citados. Neste documento, destaca-se o comportamento do varejo ampliado.
[2] Ver http://www.anfavea.com.br/docs/release_07_10_2020.pdf

Related Posts

Leave a comment

You must be logged in to post a comment.