Av. Alan Turing, nº 805 - Barão Geraldo – Campinas

PIB do 3º trimestre confirma estimativas de novo índice econômico

A estimativa do PIB do Índice de Tendência Econômica (ITE/FACAMP) demonstra, mais uma vez, ser um bom termômetro para atividade econômica. O Índice – calculado a partir do consumo de energia do mercado livre – registrou alta de 7,3% no terceiro trimestre (em relação ao trimestre anterior), muito próximo dos 7,7% registrados pelo IBGE.

O ITE/FACAMP do terceiro trimestre foi divulgado dia 12 de novembro, portanto 21 dias antes da divulgação de hoje pelo IBGE.

Diferentemente do ITE/FACAMP, as estimativas de mercado vieram acima do resultado divulgado pelo IBGE. A mediana do Valor Data, por exemplo, calculada a partir da estimativa de 39 consultorias e instituições financeiras, apontava crescimento de 8,8% no período. O IBC-BR – prévia do PIB calculada pelo Banco Central – registrou crescimento de 9,47% no período.

O ITE/FACAMP é divulgado entre os dias 10 e 15 de cada mês e distribuído pelo Brodcast da Agência Estado.

 

Sobre o ITE/FACAMP

 

 O ITE/FACAMP é calculado por professores do NEC (Núcleo de Estudos de Conjuntura) da FACAMP (Faculdades de Campinas).  O índice foi criado com o objetivo de sinalizar, com antecedência, rapidez e alto grau de confiabilidade, o nível da atividade econômica, favorecendo assim a análise da conjuntura e a tomada de decisão por parte dos principais agentes da economia.

 

Os indicadores tradicionais, como o Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br) e o Produto Interno Bruto (PIB), calculado pelo IBGE, são divulgados com defasagem de tempo. No primeiro caso, a discrepância é de dias, mas no segundo chega a dois meses, dado que o cálculo é trimestral. O ITE-Facamp é divulgado mensalmente, entre os dias 10 e 15. “Nossos dados, acompanhados de uma análise conjuntural, serão disponibilizados entre dois a três dias antes do IBC-Br e até 20 dias antes do PIB”, explica o professor Saulo Abouchedid, coordenador do NEC-FACAMP.

O ITE/Facamp é calculado a partir de dados públicos do consumo de energia no Brasil, utilizando a base da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE. O Núcleo de Estudos de Conjuntura (NEC/Facamp) construiu uma agregação de segmentos de consumo onde a demanda de energia se mostra intimamente relacionada com o nível de atividade. Além disso, o ITE-Facamp exclui efeitos de temperatura e sazonalidade para sustentar a associação entre consumo de energia e nível de atividade. A proposta de criar um indicador econômico baseado no consumo de energia elétrica partiu de um dos integrantes do NEC-Facamp, o professor Ricardo Buratini. “Nosso indicador também tem uma estreita correlação com os índices oficiais. Em relação ao IBC-Br, a taxa é de 0,9. Frente ao PIB, é de 0,86. Vale ressaltar que correlações acima de 0,7 são consideradas fortes”, diz o professor Buratini.

Os assinantes do Broadcast da Agência Estado têm acesso aos números do novo indicador do nível de atividade da economia 48 horas antes do anúncio para os demais veículos de comunicação. O ITE-Facamp tem divulgação pelo Broadcast e outras plataformas da Agência Estado sempre entre os dias 10 e 15 de cada mês.

Related Posts

Leave a comment

You must be logged in to post a comment.