Av. Alan Turing, nº 805 - Barão Geraldo – Campinas

Varejo ampliado desacelera em novembro; venda de veículos contribui para o resultado positivo.

O comércio varejista ampliado brasileiro[1] apresentou aumento de 0,6% em novembro comparado a outubro de 2020, no sétimo crescimento mensal consecutivo, segundo a última Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) do IBGE. O resultado positivo contrasta com a desaceleração do setor, não sustentando o bom desempenho de outubro, e com a queda marginal de 0,1 do comércio varejista, explicitando a contribuição decisiva do setor automotivo para a manutenção do crescimento no varejo ampliado. O cenário sugere também os impactos da flexibilização das medidas de isolamento social e da redução do auxílio emergencial, que contribuem para o “retorno” da cesta de consumo das famílias ao padrão pré-pandemia.

O desempenho positivo do volume de vendas do varejo ampliado marcou a maioria dos setores no mês de novembro comparado a outubro de 2020. Destaca-se as vendas de livros, jornais e artigos de papelaria (5,6%), ainda bem abaixo do patamar pré-pandemia; de tecidos, vestuário e calçados (3,6%), ainda em recuperação das perdas provocadas pela pandemia e veículos, motocicletas e partes e peças (3,5%). No entanto, a recuperação no setor automotivo deve ser vista com ressalvas, já que, de acordo com os dados da Federação Nacional dos Veículos Automotores (Fenabrave), as vendas de veículos automotores registraram queda de 21,6 em 2020 em relação a 2019. Os destaques negativos concentram-se em dois setores-chave para a recuperação da primeira onda da pandemia: supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-2,2%) e material de construção (-0,8%).

Segundo os analistas da Facamp, Adriana Marques e Saulo Abouchedid, “o resultado positivo de novembro deve ser visto com cautela, em razão da intensidade da segunda onda da pandemia e o fim do auxílio emergencial, e de grande parte das medidas emergenciais, em 2021. A “normalização” da cesta de consumo das famílias em plena crise sanitária e econômica pode causar uma reversão considerável da recuperação conquistada até aqui. Ademais, a manutenção do desemprego e da informalidade em patamares elevados no mercado de trabalho e o repique da inflação possuem evidentes efeitos deletérios sobre as vendas de determinados produtos, fatores que voltaram a assombrar o final do ano de 2020 com forte tendência de perpetuação em 2021. Revela-se, portanto, o curto fôlego da retomada das vendas do varejo brasileiro”.

Gráficos e Tabelas

Fonte: PMC/IBGE

 

Brasil: Variação anual do volume de vendas no varejo ampliado (%)
2012 8,0
2013 3,6
2014 -1,7
2015 -8,6
2016 -8,7
2017 4,0
2018 5,0
2019 3,9
Acumulado últimos 12 meses (dez/19-nov/20) -1,3

 

 

Brasil: Variação mensal do volume de vendas no varejo (%)
Variação interanual (%) Variação na margem (%)
Nov 20/Nov 19 Nov 20/Out 20*
Comércio varejista 3,4 -0,1
Comércio varejista ampliado 4,1 0,6
* Dados com ajuste sazonal.

 

 

 

 

 

 

Saulo Cabello Abouchedid

Imagem: Agência Brasil

 

 

[1] O comércio varejista inclui combustíveis e lubrificantes; hiper, supermercados, produtos alimentícios e fumo; tecidos, vestuários e calçados; móveis e eletrodomésticos; artigos farmacêuticos, médios, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos; livros jornais, revistas e papelarias; equipamentos e materiaias para escritórios, informática e comunicação; e outros artigos de uso pessoal e doméstico. O comércio varejista ampliado adiciona veículos motos, partes e peças, assim como material de construção, aos demais segmentos citados. Neste documento, destaca-se o comportamento do varejo ampliado.

 

 

 

Expediente

FACAMP explica: PMC é uma publicação mensal do Centro de Pesquisas Econômicas da FACAMP que repercute os resultados da Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE.

FACAMP é uma faculdade privada fundada em 2000 por João Manuel Cardoso de Mello, Liana Aureliano, Luiz Gonzaga de Melo Belluzzo e Eduardo Rocha Azevedo. Com 100% de Mestres e Doutores, seu curso de Economia recebeu 5 estrelas do Guia do Estudante em 2018.

www.facamp.com.br

Pesquisadores

Adriana Marques da Cunha, Beatriz Bertasso, Bento Maia, Fernanda Serralha, Jackeline Bertuolo, José Augusto Ruas, Juliana Filleti, Ricardo Buratini, Rodrigo Sabbatini, Saulo Abouchedid e Thiago Dallaverde

Assistentes de Pesquisa:

Thais Trombeta e Jacques

 

Como citar esta nota

CUNHA, A.M.; ABOUCHEDID, S. PMC: novembro de 2020”. In FACAMP Explica: PMC. Campinas: Editora FACAMP, novembro de 2020.

 

 

Leave a comment

You must be logged in to post a comment.
× Olá! Como podemos ajudar?